Aprenda a adotar os 5P’s da sustentabilidade no seu negócio

Aprenda a adotar os 5P’s da sustentabilidade no seu negócio

Os cuidados com o planeta Terra devem ser uma preocupação de toda a sociedade, assim como de empresários conscientes que buscam implementar os 5p’s da sustentabilidade nos negócios, o que leva a vários benefícios, para todos os envolvidos. 

A sustentabilidade não se limita às empresas estabelecidas, levando em consideração a importância e impacto direto aos negócios e manutenção da sociedade, ainda mais considerando que o número de empreendedores iniciantes que estão desenvolvendo empresas em torno da proteção e serviços ambientais se torna necessária no mundo dos negócios e cresce a cada dia.

Inclusive, pequenas e médias empresas compõem o principal expoente de PIB para o país, e sendo mais frequentes, o que demanda a atenção às práticas mais ecológicas para acesso da comunidade.

Isso proporciona um aumento no número de pequenos empreendimentos a grandes corporações, ideias promissoras que se concentram em produtos duradouros, ecológicos e reciclados. 

Para incentivar esse processo e medidas mais sustentáveis e responsáveis aos diferentes nichos de mercado, ainda em 2015, a ONU (Organização das Nações Unidas), propôs um foco que pode ser direcionado aos 5 P’s da sustentabilidade:

  • Paz;
  • Pessoas;
  • Planeta;
  • Prosperidade;
  • Parcerias.

Com uma preocupação em escala global, muitas empresas tomam medidas para reduzir os impactos ambientais, estabelecendo metas de curto, médio e longo prazo para atingir os objetivos propostos pela ONU.

Voltado para o mundo dos negócios, a sustentabilidade proporciona diversos benefícios, além do cumprimento das responsabilidades legais e morais. 

Estrutura atualizada dos 5 p’s da sustentabilidade 

Para uma empresa, seja ela uma consultoria em TI, um escritório de contabilidade ou uma indústria, é relativamente fácil desenvolver uma declaração de missão ou implementar uma iniciativa de propósito, etapas fundamentais para a prática dos 5 P’s da sustentabilidade.

A maioria das organizações procura definir um propósito em algum ponto relacionado ao negócio, e muitos executivos consideram importante garantir que essa missão esteja incorporada em tudo o que faz para criar um senso de causa e ter alinhamento nas operações.

Para que isso seja possível, o propósito deve ser sistêmico e racional, mas também emocional. Na verdade, ele deve ressoar com os membros de uma organização e informar a tomada de decisão geral e o que a marca deseja proporcionar para a comunidade e seus clientes, por exemplo.

É nesse ponto que os 5 P’s da sustentabilidade se transformam em 5 elementos críticos principais para as estratégias e posicionamentos da empresa, como apresentados a seguir.

  1. Produtos do portfólio 

Os produtos e serviços que uma organização oferece, além das escolhas de atendimento ao mercado consumidor, deve ser direcionado ao propósito e público, fazendo com que as empresas mantenham o foco nos potenciais clientes que procuram de manutenção de nobreaks a serviços essenciais e esporádicos, por exemplo.

  1. Pessoas e cultura organizacional

A gestão de pessoas e de talentos é uma preocupação genuína dentro das empresas, pois os profissionais fazem parte do benchmarking corporativo.

  1. Processos e sistemas

Os processos operacionais consistem nos fluxos que uma organização adapta para atender às metas relacionadas ao propósito, assim como as maneiras de garantir que o comportamento acima e abaixo da cadeia de valor esteja alinhado com as expectativas de atendimento e posicionamento social

  1. Performance de métricas

Esse P representa as métricas e os incentivos que uma empresa utiliza para mensurar os fluxos e ações realizadas e qual o desempenho frente ao que se deseja alcançar.

Ou seja, permite avaliar de forma mais adequada, e alinhada às diretrizes estabelecidas para normas mais sustentáveis, como a marca está progredindo e a maneira como se cria e distribui incentivos para tornar tangível o objetivo de uma organização

  1. Posições e engajamento 

Esse último P define como a empresa se alinha às posições e afiliações externas para ser consistente e entregar, de maneira correta, todo o propósito definido, ao longo do tempo, com participação interna e externa.

Toda essa estrutura atualizada dos 5 P’s da sustentabilidade se condicionam a uma maneira de atender às demandas do documento proposto pela ONU, dentro de um cenário mercadológico, corporativo e que busca melhorar, de fato, uma empresa junto ao setor em que atua.

Além disso, essas 5 alavancas, por assim dizer, elevam o propósito a longo prazo, devendo ser ajustadas de maneira regular, e de forma rigorosa, ao longo do tempo, como cabeamento estruturado de uma empresa em evolução tecnológica para manter a qualidade das práticas e processos.

Em todos os casos, é preciso entender as fontes de força de uma empresa, e todo o processo deve abordar áreas vulneráveis e, na sequência, seguir de uma construção de toda a infraestrutura do propósito de forma programática.

Estratégia e produtos do portfólio

Demonstrar propósito nos produtos e serviços que uma empresa oferece é um processo de duas etapas. 

Primeiro, é preciso se certificar de que o portfólio de negócios está alinhado ao propósito da  empresa e demandas diversas.

Mesmo que a maioria das organizações não consiga começar do zero, em termos de indústrias e setores em que competem, quase todas podem identificar maneiras de reformular o mix de negócios de maneira ativa e proposital. 

Em segundo lugar, uma vez que se tenha escolhido o portfólio, vale preencher os negócios com produtos e serviços de uma assistência técnica informática, por exemplo, que correspondam ao propósito da empresa e separar aqueles que não combinam. 

O patrimônio da empresa é importante, mas líderes, gestores e funcionários em geral têm mais liberdade para escolher o que a empresa faz e como ela pode fazer uma diferença positiva a partir dessas atividades e portfólio.

Pessoas e cultura organizacional

A segunda alavanca para o propósito de incorporação poderia, de forma plausível, ser considerada a primeira: pessoas e cultura organizacional. 

O propósito começa com os seres humanos. Os funcionários e, na verdade, todos os stakeholders, de investidores a cliente final, são as fontes de força e de controle.

O propósito pode ser alinhado em pontos críticos com o pessoal e cultura organizacional. Isso começa a partir da contratação especializada e implementação de cabeamento estruturado para uma comunicação eficiente.

Os gestores podem selecionar ativamente indivíduos que compartilham os valores que sustentam o propósito da empresa e reforçar a cultura e as novas práticas de forma regular.

Processos e sistemas

A terceira alavanca, processos e sistemas, aborda em foco central o modelo de negócios, sendo divididas em iniciativas operacionais, incentivos e mecanismos de governança nos quais a empresa depende para criar valor e realizar o propósito. 

Desse modo, são necessários sistemas robustos para manter, ou mesmo iniciar, o motor de propósito funcionando. 

Alguns elementos são dependentes da indústria e dos negócios. Por exemplo, as empresas de alimentos e uma rede de hospedaria Caetité hotel podem identificar e obter ingredientes mais saudáveis ​​de agricultores e materiais mais ecológicos junto aos fornecedores de embalagens para suas atividades.

Independentemente do setor em que atua, a maioria das empresas pode incorporar as melhores práticas, desde a compostagem do refeitório até a licença remunerada para serviços comunitários.

Os processos e iniciativas de sistemas devem fazer o mesmo, com planejamento considerado para o presente e o futuro.

Performance de métricas

O propósito pode e deve ser medido com rigor. 

Na prática, isso significa identificar os principais KPIs (Key Performance Indicator), os indicadores-chave de desempenho, ou performance, vinculados ao propósito da empresa, e rastreá-los ao longo do tempo para incentivar a organização a atingir as metas de propósito. 

O que é medido é gerenciado, e o inverso talvez seja ainda mais adequado e de forma consistente. 

Posicionamento e engajamento

O que é verdade dentro de um restaurante argentino Moema deve ser consistente além dele.

Ou seja, o propósito deve ser incorporado à forma como a organização transmite informações e se envolve com o público, independentemente de seu segmento de atuação.

Quando o propósito é definido, as posições, comunicações e envolvimento externo da empresa tornam-se extensões lógicas do modelo de negócios, isto é, o propósito elimina a lacuna entre fazer e falar.

Um passo de cada vez no quesito sustentabilidade

Cada empresa se propõe a adaptar os 5 P’s da sustentabilidade conforme sua disponibilidade e necessidade, considerando sua rotina e setor, desde que tenham como finalidade a participação em melhorias voltadas para a sociedade, de uma maneira geral. 

A ideia principal é, ao menos, dar um passo de cada vez, para assim encorajar e engajar as pessoas a fazer parte das mudanças que podem atingir, de forma igualitária, toda a sociedade. 

Indivíduos e empresas podem começar pequenos, desde a proposta de reciclagem de resíduos sólidos, o conserto de Iphone para redução de consumo, uso consciente da água da torneira em vez de garrafas plásticas, e aproveitamento e utilização da luz natural no escritório. 

A maioria dessas ações já podem ocorrer no local de trabalho. Por isso, fica fácil imaginar o quanto mais pode ser alcançado com um pensamento contínuo e focado na sustentabilidade.

O poder dos negócios para proporcionar uma mudança que impacta positivamente o mundo é vasto. 

Com poderes incomparáveis ​​de idealização, produção e distribuição, o mundo dos negócios está bem posicionado para trazer a mudança necessária em escala global.

Conclusão

O propósito é uma fonte de vantagem competitiva, mas deve ser genuíno e infundido no modelo de negócios de acordo com a organização. 

Os 5 P’s da sustentabilidade fornecem uma estrutura para ajudar as empresas a incorporarem o propósito de maneira sistemática e abrangente. 

Para finalizar, eles ajudam as organizações a desbloquear fontes de valor, identificar pontos de vulnerabilidade e fazer o bem.Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Business Connection, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.